Menino ‘decapitado’ após acidente tem cabeça recolocada por médicos, em Israel

Menino ‘decapitado’ após acidente tem cabeça recolocada por médicos, em Israel

Os médicos disseram que a cabeça de Suleiman estava “quase completamente separada da base do pescoço”. Ele foi submetido a uma cirurgia minuciosa realizada por uma equipe de terapia intensiva que durou várias horas.

Duas pessoas morrem dentro de carro que ficou esmagado em acidente com caminhão na Zona Oeste do Recife
Cabine de caminhão é destruída após colisão e motorista sobrevive em Palmares

Médicos de Israel recolocaram a cabeça de um menino palestino, identificado como Suleiman Hassan, de 12 anos, depois que ele foi atropelado por um carro enquanto andava de bicicleta. O garoto sofreu uma decapitação interna — fratura que envolve a base do crânio e o topo da coluna — fazendo com que ambas se desprendam, mas mantendo a pele intacta.

O trauma ocorre quando há impacto súbito na cabeça e faz com que os ligamentos e músculos que seguram o crânio na posição nas vértebras superiores da coluna se rasguem. A lesão é enquadrado como rara — representando menos de 1% das lesões na coluna vertebral. Os médicos disseram que a cabeça de Suleiman estava “quase completamente separada da base do pescoço”. Ele foi submetido a uma cirurgia minuciosa realizada por uma equipe de terapia intensiva que durou várias horas.

Suleiman conta que estava circulando de bicicleta quando um carro o atropelou. Ele foi levado de avião para a Unidade de Trauma do Hadassah Ein Kerem, em Jerusalém, e colocado em cirurgia o mais rápido possível. Seu ferimento foi corrigido no início de junho, mas o hospital de Jerusalém preferiu aguardar um mês para anunciar os resultados. A incidência de decapitação interna é desconhecida, considerando que 70% das vítimas morrem instantaneamente ou a caminho do hospital.

Ao falar sobre o assunto, o professor clínico de medicina e internista do NYU Langone Medical Center, Marc Siegel, disse à Fox News Digital que a cirurgia é ‘incrível’.

A alta médica de Suleiman foi compensada de uma tala cervical e, com isso, os médicos continuarão monitorando sua recuperação. Os profissionais garantem que o menino não apresenta déficits neurológicos ou disfunção sensorial ou motora. Além disso, ele já pode andar e fazer movimentos sem necessitar de ajuda.

FONTE: CONEXÃO POLÍTICA 

COMMENTS

WORDPRESS: 0